Loja Fina Flor

Loja Fina Flor

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Chance de jovem negro ser assassinado no Brasil é quase três vezes maior do que jovem branco.


Chance de jovem negro ser assassinado no Brasil é quase três vezes maior do que de jovem branco. Crédito: Cléber Júnior / Agência O Globo

Por Felipe Igreja


O risco de um jovem negro ser vítima de homicídio é quase 3 vezes maior que o de um jovem branco, na mesma faixa etária. No Brasil, 23 mil pessoas negras entre 15 e 29 anos morrem todos os anos e o homicídio é a principal causa de morte.

Os números fazem parte do Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência, feito pela Unesco no Brasil e pela Secretaria Nacional da Juventude.

A base da pesquisa são dados de 2015 do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

É a primeira vez que a pesquisa analisa dados de gênero e mostra que as jovens negras também correm mais risco maior de serem assassinadas que as jovens brancas.

São mais de duas vezes a mais. E isso ocorre em quase todos os estados: em 24 das 27 unidades da Federação, a chance de um jovem negro, seja do sexo masculino ou feminino, ser vítima de violência é maior.

Só três estados não repetem essa realidade: no Paraná, as vítimas brancas superam as negras, no Tocantins o risco é praticamente igual e em Roraima não houve registro de morte de jovem branco no período, o que impede a comparação.

Já em Alagoas, um jovem negro tem quase 13 vezes mais chances de morrer assassinado do que um branco.

O índice analisa ainda dados de mortalidade por acidentes de trânsito e indicadores sociais, incluindo dados de 304 municípios com mais de 100 mil habitantes.

Vinte e uma cidades foram classificadas na categoria vulnerabilidade muito alta, sendo Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, a cidade onde a juventude se encontra mais suscetível à violência.

O relatório está sendo lançado por ocasião do Dia dos Direitos Humanos, celebrado em 10 de dezembro, e no âmbito da campanha Vidas Negras, pelo fim da violência contra jovens negros.

Fonte: CBN
Link: http://cbn.globoradio.globo.com/editorias/pais/2017/12/11/CHANCE-DE-JOVEM-NEGRO-SER-ASSASSINADO-NO-BRASIL-E-QUASE-TRES-VEZES-MAIOR-DO-QUE-DE-JOVEM.htm


Temer admite que votação da reforma da Previdência pode ficar para o ano que vem.

Presidente discursa em Buenos Aires. Foto: reprodução

O Presidente disse na Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio que trabalha para votar o assunto ainda nesse mês, mas não descartou a possibilidade de a sessão na Câmara só ocorrer no ano que vem.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

2ª EDIÇÃO MELHORES DO ESPORTE TANGARAENSE.

SEI Tangará realiza a premiação dos melhores do esporte tangaraense.




Sei Tangará realizará pela 2ª vez a premiação dos atletas que se destacaram em 9 modalidades no município tangaraense, o projeto social tem o objetivo de motivar os praticantes de cada modalidade a desenvolver ainda mais as suas habilidades e receber a honraria a cada final de temporada.

Na 1ª edição (2016) foram premiados os desportistas que se destacaram em cada modalidade na história esportiva do nosso município.

A 2ª edição será realizada no dia 20 de dezembro no ginásio poliesportivo senador Carlos Alberto de Souza a partir das 19hs durante a premiação dos alunos/atletas que participarão da VI Copa Interna SEI Tangará na noite das Celebridades Esportivas Tangaraenses.

Agradecemos o apoio para a realização dos melhores do esporte tangaraense em 2017 da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer de Tangará e da Loja Sport Sempre da cidade de Parnamirim-RN.


Contamos com a presença da população tangaraense.





















STF decide que assembleias não podem derrubar prisão de deputados estaduais.


O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira, 7, por 5 votos a 4, que as assembleias legislativas não podem revogar a prisão de deputados estaduais determinadas pela Justiça.

O julgamento, no entanto, foi suspenso devido a ausência dos ministros Luís Roberto Barroso está ausente devido a uma viagem ao exterior, e Ricardo Lewandowski, em licença médica. Sem os votos dos dois magistrados, não há o mínimo de 6 votos necessários para a proclamação em definitivo do caso.

De acordo com o entendimento firmado até o momento, os parlamentares estaduais não têm as mesmas garantias dos parlamentares federais, que somente podem ser presos em flagrante por crime inafiançável e com aprovação da Casa Legislativa a que pertencem. Marco Aurélio, Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes e Celso de Mello votaram a favor da imunidade. Edson Fachin, Rosa Weber Luiz Fux, Dias Toffoli e a presidente da Corte, Cármen Lúcia, se manifestaram contra o benefício.

Histórico

O caso que motivou o julgamento foi a prisão preventiva dos deputados do estado do Rio de Janeiro Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB. A decisão será aplicada em casos semelhantes registrados nas assembleias do Mato Grosso e do Rio Grande do Norte.

Os parlamentares foram presos preventivamente no dia 16 de novembro, por determinação da Justiça Federal, sob a suspeita de terem recebido propina de empresas de ônibus. Os fatos são investigados na Operação Cadeia Velha, da Polícia Federal. No dia seguinte, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro reverteu a decisão judicial e votou pela soltura dos três.

A questão jurídica está em torno da interpretação do Artigo 27, da Constituição. O quarto parágrafo diz que o deputado estadual tem direito às regras constitucionais sobre sistema eleitoral, inviolabilidade e imunidades previstas na Carta.

Com base nesse artigo, constituições estaduais reproduziram a regra, prevista no Artigo 53, que garante a deputados e senadores prisão somente em flagrante de crime inafiançável e referendada por sua casa legislativa.




Fonte: Diário do Poder
Ministro do STF quebra sigilo de Aécio Neves, de irmã e primo do tucano.

AO DETERMINAR A QUEBRA, O MINISTRO AFIRMOU QUE OBJETIVO É RASTREAR A ORIGEM E DESTINO DE RECURSOS SUPOSTAMENTE ILÍCITOS.

Na tarde desta quinta-feira (7) o ministro Marco Aurélio do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a quebra de sigilo fiscal e bancário do senador Aécio Neves (PSDB-MG), de sua irmã Andrea Neves, de seu primo Frederico Pacheco de Medeiros e de Mendherson Souza, o ex-assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG). 

A quebra do sigilo abrange o perído de 1 de janeiro de 2014 até maio de 2017. Ao determinar a quebra, o ministro afirmou que objetivo é rastrear a origem e destino de recursos supostamente ilícitos.

Todos são investigados na Operação Patmos que foi deflagrada em maio deste ano e levou a prisão a irmã e o primo do senador Tucano.




Fonte: Diário do Poder
Petrobras vai revisar política para o gás após disparada de preços.

COMPANHIA ANUNCIOU UM AUMENTO DE 8,9% NO PREÇO DO GÁS DE COZINHA VENDIDO PARA DISTRIBUIDORAS NESTA SEMANA (FOTO: EBC)

A Petrobrás informou nesta quinta-feira, 7, que decidiu revisar a metodologia de reajuste de seus preços do gás de cozinha, após uma disparada nas cotações do produto, que subiram quase 70% para os distribuidores desde o início de junho.

A empresa afirmou que o Grupo Executivo de Mercado de Preços (GEMP) da empresa concluiu que, embora os preços do GLP praticados no Brasil devam ser referenciados ao mercado internacional, esta metodologia necessita ser revista.

“O fundamento para isso é que o mercado de referência (butano e propano na Europa) está apresentando alta volatilidade nos preços, agravada pela sazonalidade (inverno) naquela região. Desta forma, a correção aplicada esta semana foi a última realizada com base na regra vigente”, declarou a empresa em nota.

A empresa não detalhou como ficará a metodologia.

A companhia anunciou na última segunda-feira, 4, um aumento de 8,9% no preço do gás de cozinha vendido para distribuidoras, impulsionando para cerca de 68% a alta acumulada desde o início de junho, quando a estatal anunciou uma política de preços do produto com reajustes mais frequentes.




Fonte: Diário do Poder

FPM: Municípios recebem repasse extra neste dia 7 de dezembro.

As prefeituras de todo o país vão receber nesta quinta-feira, 7 de dezembro, o repasse extra de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O montante totaliza R$ 3,876 bilhões e deverá ser creditado até as 18h da data mencionada. Ele soma os valores arrecadados com o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto de Renda (IR) desde dezembro de 2016 até o final de novembro deste ano.

Neste ano, o repasse extra do FPM ficou 1,8% maior do que os R$ 3,807 bilhões destinados aos Municípios em dezembro do ano passado. O valor em 2017 está dentro das previsões da CNM, que cotava repasse aproximado de R$ 4,022 bilhões.

Uma análise histórica feita pela equipe de Estudos Técnicos da entidade revela que, ao longo dos últimos 10 anos, os cofres municipais receberam R$ 30,191 bilhões de repasses extras do FPM. O montante é fruto de uma luta constante da Confederação a favor dos Municípios. Com esse repasse extra, os gestores poderão contar com certo alívio em suas contas, sobretudo no que diz respeito ao pagamento da folha de pessoal e ao 13º salário.

A CNM produziu um conjunto de tabelas por estado, que revelam quanto cada Município deve receber, conforme seu coeficiente.



Acesse aqui

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Tarifa branca de energia entra em vigor dia 1º, mas consumidor deve ter cautela.


Da Agência Brasil


Com entrada em vigor prevista para 1º de janeiro do ano que vem, a tarifa branca de energia elétrica pode representar uma diminuição no valor da conta de luz para os que consumirem menos nos horários de pico (entre as 19h e as 21h. A adesão é opcional.

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) alerta aqueles que queiram aderir à tarifa para que levem em consideração seu perfil de consumo, sob pena de verem o efeito contrário, com aumento na conta.

O presidente da Abradee, Nelson Leite, sugere que, antes de optar pela tarifa branca, o consumidor analise o próprio perfil e hábitos de uso da energia elétrica ao longo do dia. “Não é uma decisão simples. Ela envolve alguns cálculos e algumas estimativas do consumidor”, disse Leite hoje (6), durante o lançamento de uma cartilha explicativa elaborada pela instituição, com respostas para as dúvidas dos consumidores em relação à medida.

A nova modalidade permite ao consumidor pagar tarifas diferenciadas de acordo com a hora do dia. Na primeira fase, poderão adotar a tarifa os consumidores de de baixa tensão, como residências, pequenos comércios e indústrias, com consumo médio mensal superior a 500 quilowatts-hora (KWh). Em média, o consumo das famílias brasileiras é de 160 kWh/mês.

Nos horários de pico, a tarifa terá um valor mais alto. Fora desse horário, o preço cobrado será mais baixo. Também haverá uma tarifa de cobrança intermediária que valerá uma hora antes do início do horário de pico, entre as 18h e as 19h, e depois, entre as 21h e as 22h.

Inicialmente, a medida atingirá uma pequena parcela dos consumidores brasileiros. No primeiro momento, poderão aderir à tarifa branca cerca de 4 milhões de unidades consumidoras, o que representa cerca de 5% de tais unidades, estimou Leite.

Em janeiro de 2019 poderão aderir à nova tarifa aqueles que tenham média anual de consumo maior que 250 kWh/mês. Já a partir de 2020, a modalidade estará aberta a todas as unidades consumidoras, com exceção daquelas de baixa renda, beneficiadas pela tarifa social.

O consumidor deverá fazer a adesão na concessionária de energia que atende a sua cidade. Após análise do pedido, a concessionária tem 30 dias para fazer a troca do medidor de energia, no caso de unidades consumidoras já existentes, ou os prazos e procedimentos padrão para novas solicitações de fornecimento.



Chuvas de dezembro devem melhorar situação dos reservatórios do país, diz comitê.


As chuvas de dezembro podem representar um pequeno alívio para a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas do país. A expectativa de melhora, que difere pouco da estimativa de novembro, foi divulgada hoje (6) pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), que voltou a descartar o risco de déficit de energia para dezembro de 2017. A exceção da previsão favorável é a Região Norte, que deve ter redução da energia armazenada.

De acordo com o comitê, a energia armazenada no final do mês de novembro nos subsistemas do país chegou a 18,7% (Sudeste/Centro-Oeste), 60% (Sul), 5,5% (Nordeste) e 16,1% (Norte) com relação à capacidade ideal dos reservatórios. Já para dezembro, os valores esperados de armazenamento, até o final do mês, são 24,3% (Sudeste/Centro-Oeste), 60,1% (Sul), 13,9% (Nordeste) e 12,0% (Norte).

A previsão do Comitê de Monitoramento é de piora no
 nível dos reservatórios da Região Norte. Na foto, a Usina 
Hidrelétrica Belo Monte, no Pará.Osvaldo de Lima/Norte 
Energia
Devido à previsão de queda 
nos reservatórios do Norte e para manter o suprimento de energia para o sistema de Manaus, o comitê decidiu manter, no ano de 2018, a geração de energia por meio das termoelétricas de Flores, com capacidade de geração de 80 megawatts (MW), e Iranduba, com 25 MW.

O comitê destacou que “está garantido o suprimento eletroenergético do Sistema Interligado Nacional (SIN), despachando o parque térmico conforme ordem de mérito de custo” e que vai continuar monitorando a situação das bacias das usinas hidrelétricas. Isto significa que o governo está garantindo o abastecimento do sistema energético com o uso adicional de termoelétricas mais baratas.

De acordo com a nota, em novembro, as precipitações apresentaram grande variabilidade espacial, com registros de “volumes próximos, em geral, às médias climatológicas de cada bacia.” Já as bacias dos rios São Francisco, Grande, Tietê e Uruguai apresentaram variações negativas.

Situação das bacias

O comitê informou ainda que as bacias dos rios Grande, Paranaíba, São Francisco e Tocantins, que juntos concentram cerca de 80% da capacidade de armazenamento do SIN, “se configuraram com o 4º pior, 2º pior, o pior e 3º pior valor do histórico no período de janeiro a novembro”. A situação da capacidade das bacias, nos primeiros dias de dezembro, melhoraram para os rios Grande e Paranaíba (respectivamente, o 28º pior e 42º pior valor histórico), mas não para o São Francisco e Tocantins (pior e 3º pior valor no período), diz o comitê.

A tendência é de concentração das chuvas, nos próximos dias, com maior volume nas bacias dos rios São Francisco e Tocantins. Ainda segundo a nota, já é possível classificar a situação atual como La Niña, e a previsão é que o fenômeno permaneça durante os primeiros meses do verão, com intensidade de fraca a moderada.

De acordo com as análises, em razão das temperaturas dos oceanos Pacífico e Atlântico, há uma maior probabilidade das chuvas dos próximos três meses ocorrerem “na categoria abaixo da faixa normal climatológica numa ampla área que inclui parte das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.”

São Francisco

A operação na bacia do Rio São Francisco continua com restrições, com manutenção da vazão mínima dos reservatórios, “com vistas à preservação dos estoques armazenados.” O CMSE disse esperar que, com a medida, será possível manter todas as usinas hidrelétricas acima de seus armazenamentos mínimos operacionais até o final do ano. “A expectativa de armazenamento ao final do mês de dezembro é de 18,9% na UHE [Usina Hidrelétrica] Três Marias e de 10,6% na UHE Sobradinho”, diz a nota.



Fonte: Agência Brasil
Walfredo Gurgel abre inscrições para Residência Médica em Cirurgia Geral.



O Corpo Diretivo do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) informa que já se encontra disponível para download (no endereço eletrônicowww.walfredogurgel.rn.gov.br), e anexo a este e-mail, o Edital e a ficha de inscrição do Programa de Residência Médica em Cirurgia Geral 2018.

Podem se inscrever médicos de dentro e de fora do Brasil. Estão disponibilizadas seis vagas e os candidatos serão submetidos a uma prova escrita e a uma entrevista. O prazo para inscrição se encerra em 19 de janeiro próximo. O Programa existe há 12 anos e já formou mais de 60 cirurgiões gerais, muitos deles, inclusive atualmente atuando na rede pública de saúde do Rio Grande do Norte (RN).




Fonte: SESAP/ASSECOM


Luciano Huck diz que Brasil não pode escolher entre o "sujo e o mal lavado".


Por Domingos Fraga


Luciano Huck foi homenageado pela IstoÉ como o Brasileiro do Ano na área da comunicação.

Em um discurso forte, voltou a defender uma maior participação da geração dele na vida política e disse que as suas andanças pelo País só confirmam a enorme desigualdade social que vivemos.

Huck não escondeu que pretende ter uma atuação mais decisiva no jogo político, embora descarte uma candidatura à sucessão de Temer. Na frase mais aplaudida do seu discurso, frisou que o Brasil não pode ficar condenado a "escolher entre o sujo e o mal lavado".   

Não disse quem eram, mas não foi preciso. 

A única dúvida nos presentes era saber entre Lula e Bolsonaro, quem é o sujo e quem é o mal lavado.


Fonte: R7
Link: http://r7.com/ATSw
Governo tem de 290 a 310 votos para a Previdência, diz relator.

Relator está confiante na aprovação da reforma.
Imagem Wilson Dias/Agência Brasil - 08.11.2017
Após café da manhã no Palácio do Alvorada com o presidente Michel Temer, o relator da Reforma da Previdência na Câmara dos Deputados, Arthur Maia (PPS-BA), afirmou que o governo tem atualmente entre 290 e 310 votos favoráveis à medida. Ele também não descartou novas mudanças a texto no plenário, por meio de emendas aglutinativas.

"Acho que temos hoje entre 290 e 310 votos. Caminhamos para ter uma aprovação o mais rápido possível", afirmou o relator, ao deixar o Alvorada. "Os governadores de Estado e prefeitos que influenciam os parlamentares devem dar sua contribuição", completou.

Temer precisa atingir 308 votos para aprovar a reforma e defende que o tema seja pautado apenas se os partidos indicarem ter garantido o mínimo de votos para aprovação. "A decisão de marcar a data da discussão e início da votação é do presidente (da Câmara) Rodrigo Maia (DEM-RJ)", ponderou Arthur Maia.

O relator afirmou que atenderia o pedido do presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, para ir a uma reunião da bancada do partido e dar os "esclarecimentos necessários" aos parlamentares que ainda pedem mudanças no novo texto apresentado por ele.

"Minha condição como relator de fazer concessões (no texto da reforma) é muito limitada. Mas claro que não estão descartadas mudanças no texto. Eventuais mudanças tem quer ser feitas por emendas aglutinativas dos líderes ou destaques discutidos no plenário", disse o relator. A não aprovação também é uma possibilidade, quem define é o plenário", acrescentou.

Ele voltou a afirmar que o atual sistema previdenciário é injusto e desafiou os opositores da reforma a apontarem uma perda de direitos dos menos favorecidos com as mudanças.

"Nós somos sócios desse projeto de Brasil porque votamos a favor do impeachment e apoiamos o governo. Podemos disputar as eleições do ano que vem com o Brasil crescendo a 0,5% ou zero. Ou aprovar a Previdência e disputar com o Brasil crescendo a 3 5%", concluiu o relator.




Fonte: R7
Câmara aprova direito a duas pausas diárias para trabalhadora alimentar filho.

Pastor Eurico: O projeto reforça a proteção à maternidade
 e à infância
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara aprovou proposta que assegura à mulher empregada o direito a dois períodos de descanso de meia hora cada um, durante a jornada de trabalho, para alimentar o filho até os seis meses de idade.

O texto altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT - Decreto-Lei 5.452/43), que já prevê as pausas para amamentar o filho. O objetivo da nova medida é garantir também às mulheres que não podem amamentar ou às adotantes o direito de cuidar de seus bebês, utilizando mamadeiras ou introduzindo alimentos.

O relator, deputado Pastor Eurico (PHS-PE), recomendou a aprovação do projeto original – PL 329/11, do deputado Hugo Leal (PSB-RJ) – e da emenda proposta pela Comissão de Seguridade Social e Família, que estabelece que os dois descansos sejam de meia hora cada um.

Como a proposta tramita em caráter conclusivo está aprovada pela Câmara e deve seguir para análise do Senado, a menos que haja recurso para que seja votada pelo Plenário. 


Fonte: Agência Câmara Notícias

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Após absolver Lula, TSE também rejeita multar Bolsonaro por campanha antecipada.


Da Agência Brasil


O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (5) rejeitar representação do Ministério Público Eleitoral (MPE) para multar o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) por suposta propaganda eleitoral antecipada.

Pouco antes, o TSE também negou pedido para multar o ex-presidente Luiz Inácio da Silva por suposta propaganda eleitoral antecipada, em outra representação do MPE, desta vez por um vídeo, publicado em junho, que mostra o ex-presidente fazendo exercícios físicos e uma música ao fundo chamada “estou voltando”.

Na representação contra Bolsonaro, o MPE pediu a aplicação de multa pela veiculação de um vídeo na internet no qual o deputado é recepcionado por apoiadores ao chegar em aeroportos, fazendo menção à sua candidatura às eleições presidenciais de 2018.  

Por maioria, a Corte seguiu voto proferido pelo relator, ministro Admar Gonzaga. O ministro entendeu que não há ilegalidade na veiculação de um vídeo. Para o ministro, a propaganda eleitoral antecipada estaria caracterizada somente com pedido explícito de voto, fato que não ocorreu nas imagens.

O voto do relator foi acompanhado pelos ministros Tarcísio Veira, Jorge Mussi, Luiz Fux e Napoleão Maia. Gilmar Mendes e Rosa Weber votaram pela aplicação de multa por entenderem que houve a propagada antecipada.

Governistas trabalham para aprovar a reforma da Previdência na próxima semana.


O governo e lideranças aliadas trabalham para votar já na próxima semana a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que modifica o sistema previdenciário nacional. O PMDB, partido do presidente Michel Temer, foi a primeira sigla a anunciar que deverá fechar questão na votação da reforma da Previdência.

Para ser aprovada na Câmara, a reforma precisa de pelo menos 308 votos do total de 513 deputados, em dois turnos de votação.

O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, afirmou que a reforma tem como objetivo combater as desigualdades no sistema previdenciário brasileiro. “A reforma trata de organizar o sistema com um pedágio para aqueles que se aposentam muito cedo. São aqueles que ganham mais e com esse pedágio trabalharão um pouco mais. Com isso, a gente pode estabilizar o sistema previdenciário brasileiro”, destacou.


Com informações da Agência Brasil

domingo, 3 de dezembro de 2017

Temer reúne hoje líderes da base aliada em jantar promovido por Maia.



O presidente da República, Michel Temer, reúne-se hoje (3), às 19h, com líderes da base aliada, em jantar na residência do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. A assessoria do Palácio do Planalto também confirmou um almoço, no Palácio da Alvorada, às 14h. A começar por hoje, a semana será de reuniões e articulações da base para reunir os 308 necessários para aprovar a reforma da Previdência na Câmara. Será uma semana é de “mobilização total”, segundo um interlocutor do governo.

O governo precisa trabalhar rápido, porque o último dia de atividades no Congresso, antes do recesso parlamentar, é 22 de dezembro.

O presidente de Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou, na semana passada, que faltam “muitos votos” para que seja possível aprovar a reforma da Previdência. “Estamos tentando construir o texto em cima dos 308 votos [apoio necessário para aprovação]. Mas a gente sabe que está muito longe disso ainda, muito longe mesmo”, disse Maia após evento, na última quinta-feira (30).

Para o jantar, são esperados os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles; do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira; da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab; da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marco Pereira; dos Transportes, Maurício Quintella; das Cidades, Alexandre Baldy; e da Casa Civil, Eliseu Padilha. O secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, também participará do almoço, segundo o Palácio do Planalto.

Entre os presidentes de partidos, são aguardados no encontro os dirigentes do PMDB, PP, PSD, DEM, PRB, PTB, Solidariedade e PSC. O líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), o líder do PMDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), também estão na lista de convidados.




Fonte: Agência Brasil
Link: http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2017-12/temer-reine-hoje-lideres-da-base-aliada

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

EUA: Coreia do Norte será totalmente destruída se insistir em provocações.


A embaixadora dos Estados Unidos na Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, disse que a Coreia do Norte será totalmente destruída se ocorrer uma guerra. Harley participou de uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, nesta quarta-feira (29), depois que o governo norte-coreano lançou um míssil balístico intercontinental no mar japonês, no dia anterior.

“Nós nunca buscamos guerra com a Coreia do Norte e, ainda hoje, não a buscamos. Se ocorrer uma guerra, será por causa dos atos de agressão contínuos, como o que testemunhamos ontem”, disse Haley. A reunião foi convocada pelos Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul.

Durante a reunião, os Estados Unidos pediram novas sanções contra a Coreia do Norte. A embaixadora Nikki Haley também solicitou que todos os países rompam relações com Pyongyang.

"Ninguém pode duvidar que o ditador da Coreia do Norte está se tornando mais agressivo em sua obsessão pelo poder nuclear", disse.




Com informações do Diário do Poder
Maia: Governo está longe de ter votos para aprovar reforma da previdência.

MAIA DISSE QUE VAI SE EMPENHAR, JUNTO COM O GOVERNO, NAS ARTICULAÇÕES COM OS DEPUTADOS (FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO)











O presidente de Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse hoje (30) que faltam “muitos votos” para que seja possível aprovar a reforma da Previdência. “A gente está tentando construir o texto em cima dos 308 votos [apoio necessário para aprovação]. Mas a gente sabe que está muito longe disso ainda, muito longe mesmo”, disse após palestrar em um evento promovido pelo banco J.P. Morgan.

Na avaliação de Maia, nos últimos meses o governo perdeu força no Congresso, especialmente devido às denúncias da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer. “A gente sabe das dificuldades. A base do governo passou por duas votações de denúncia, com desgaste muito grande. Tem aqueles que, mesmo compreendendo a importância da votação, não confirmaram que podem votar com a matéria”, destacou. Para ele, falta apoio de partidos que integram o governo, como PSD e PR.

Em outubro, a Câmara rejeitou o prosseguimento da segunda denúncia apresentada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal contra Temer, por obstrução de Justiça e organização criminosa. Em junho, Janot já havia denunciado o presidente pelo crime de corrupção passiva. A denúncia foi rejeitada em agosto.

Articulação

Para tentar conseguir os votos para aprovar a reforma, Maia disse que vai se empenhar, junto com o governo, nas articulações com os deputados. “Domingo o governo vai fazer uma reunião. Eu vou participar com os líderes, com os ministros e vamos tentar construir um caminho. A nossa responsabilidade no Brasil é muito grande. A reforma da Previdência, diferentemente do que a oposição vende, não tira nenhum direito do trabalhador pobre”, disse.

O presidente da Câmara atribuiu parte das dificuldades enfrentadas atualmente a erros de comunicação cometidos no lançamento da proposta. “Essa comunicação foi malfeita no início e de alguma forma contaminou a votação neste momento”, enfatizou.

Apesar do cenário desfavorável, Maia acredita que seja possível convencer os deputados a mudar de posição em pouco tempo. “O Brasil é um país em que as coisas mudam muito rápido: em um dia você tem uma visão de um tema, no outro dia muda tudo. Eu tenho uma esperança muito grande que a gente consiga reverter essa impressão das pessoas de que a Previdência vai tirar votos, vai prejudicar as pessoas que ganham menos”.

Em Brasília, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, reiterou a expectativa do governo de que a reforma seja votada com a maior brevidade possível: “Mas eu repito: a pauta do Congresso Nacional é definida pelos presidentes da Câmara e do Senado. Eles saberão o momento certo para que se possa colocar em votação”.

Ao participar de um evento na Imprensa Nacional, Padilha voltou a dizer que não há mais espaço para modificações no texto. “O governo não vai analisar mais nenhuma modificação a partir do que foi o texto produzido pelo relator Arthur Maia. A tentativa dos parlamentares são motivadas por justas reivindicações de seus representados. Agora o governo não tem mais condições de cortar. Já chegamos no osso”.




Fonte: Diário do Poder

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

CCJ do Senado aprova projeto que autoriza moradores da área rural a comprar arma.


A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira (29) um projeto que altera o Estatuto do Desarmamento para autorizar moradores da área rural a comprar arma de fogo.

Atualmente, o estatuto prevê o porte de arma de fogo para quem se enquadra na categoria "caçador para subsistência": moradores de áreas rurais que tenham mais de 25 anos e comprovem depender do uso da arma para prover a subsistência alimentar familiar.

Pela proposta, o comprador deverá ter mais de 21 anos de idade e só poderá comprar a arma se apresentar algum documento de identificação pessoal, comprovante de residência em área rural e atestado de bons antecedentes.

Por ter caráter terminativo, o projeto seguirá direto para análise da Câmara sem ser submetido a votação no plenário do Senado, a menos que haja recurso de algum parlamentar.

O que diz o autor da proposta

O texto aprovado pela CCJ não trata do porte de arma na área rural, mas, sim, da compra do artefato.

Segundo o autor do projeto, Wilder Morais (PP-GO), inúmeras famílias residem na área rural sem ter acesso à polícia e, com isso, ficam sujeitas a ataques de criminosos.

"Propomos este projeto de lei visando a assegurar aos residentes em áreas rurais o direito de adquirir uma arma de fogo de uso permitido para utilização em suas propriedades, as quais, não raro, encontram-se a centenas de quilômetros de um posto policial, o que coloca inúmeras famílias à mercê do ataque de criminosos ou, até mesmo, de animais silvestres, não assistindo a elas quaisquer meios de defesa de sua vida e de sua propriedade", diz o autor.

"Não se concederá autorização para compra de armas de forma irrestrita a quaisquer pessoas, mas apenas ao homem do campo que comprove preencher os requisitos já constantes do estatuto do desarmamento para aquisição de arma de fogo", acrescenta.




Fonte: G1